Esse tipo de farol é chamado de neblina exatamente para seu veículo ficar mais visível durante uma neblina. Também conhecida por nevoeiro, temos aí um fenômeno atmosférico em ocasiões de baixas temperaturas. Aeroportos costumam suspender voos por conta de neblina densa, que causa baixa visibilidade. O mesmo ocorre em rodovias, estradas e até e ruas de grandes centros. O risco  de acidentes é evidente. Além de dirigir com prudência, com os faróis ligados, e manutenção elétrica em dia o farol de neblina também pode ser de grande ajuda.

Farol de neblina e os defeitos mais comuns

Neblina densa em rodovia

Por ser um acessório de pouco uso, muitas vezes ele fica esquecido, sem manutenção. Na hora que precisamos dele pode não funcionar totalmente ou parcialmente. É um item que deve sempre estar na nossa lista de revisões e manutenções . Pode ser um acessório de fábrica ou instalado em lojas especializadas. É bom ter em mente que o farol de neblina tem acender com o farolete, ou luz de posição. Também, o não funcionamento dele pode gerar multas e pontos na carta. Veja abaixo os defeitos mais comuns de um farol de neblina.

Farol de neblina e os defeitos mais comuns

  • Fusível queimado. Normalmente é apenas um para as duas lâmpadas ou para o relé. O manual do carro informa qual é esse fusível que pode variar de modelo para modelo. No caso de ser um farol de neblina instalado fora da fábrica, quase sempre o instalador coloca um fusível em linha, perto do relé do circuito. Mas se o fusível estiver queimado e queimar novamente, existe um curto que deve ser consertado. Jamais aumente a potência do fusível. Repita o recomendado pelo fabricante (mesma cor).
  • Relé queimado. Também costuma ser apenas um. É conhecido como relé auxiliar e serve exatamente para absorver caloria e ajudar o sistema a suportar as lâmpadas acesas. Normalmente queima por vida útil ou má qualidade. Em farol de fábrica ele fica na caixa de fusíveis e o manual deve ser consultado. No caso de instalação fora de fábrica tem que procurar. O correto é o relé ficar perto da caixa de fusíveis.
  • Lâmpadas simplesmente queimadas. É possível queimar as duas de uma vez ou primeiro queima uma  – o motorista não percebe – e em um tempo depois a outra. Uma lâmpada desse tipo tem um tempo de vida útil medido por horas de uso. Mas ela também pode queimar por má qualidade, pancadas, e infiltração de água. Quando ela queima e o vidro dela fica branco quase sempre é por contato com água ou umidade. 
  • Tecla de painel. Ela aciona o farol de neblina e pode quebrar por uso ou queimar por dentro.
  • Defeito na luz de posição (faroletes). Quase sempre o farol de neblina é instalado com uma corrente vinda da luz de posição. Se ela for interrompida o farol pode não acender. Isso acontece quando, por exemplo, a chave de farol está com defeito no primeiro estágio. É uma situação mais rara de acontecer.
  • Fiação. O chicote do farol de neblina pode interromper a corrente. Isso acontece  quando ele é esmagado em alguma parte do seu percurso ou por simplesmente ser cortado por algo ou alguém.