Manutenção dos Freios: como fazer?

 

O carro faz barulho ao frear, o pedal é demasiado duro ou está preso ao chão? Estes são sinais de que o sistema de freios não está correto e uma manutenção dos freios é urgente.

O problema é que quando chega a esta fase, normalmente já está comprometido e pode causar um acidente.

É ideal manter os freios para evitar situações como esta, que podem levar o condutor a perder o controle do veículo, ferir-se a si próprio, a outros e até causar danos materiais.

Lembre-se: manter-se a par da manutenção dos veículos é essencial para a segurança da sua equipe e das suas operações, no caso de empresas e sua frota.

Mas sabe quando é o tempo de efetuar esta manutenção e que outros problemas pode evitar?

Recomenda-se geralmente efetuar a manutenção dos freios a cada 10.000 km.

Contudo, deve também prestar atenção ao manual do proprietário do seu veículo e aos sinais que o seu veículo vem dando como:

• Ruído

• Dificuldade de travagem

• Travagem longa (pedal profundo)

• Trepidações

Uma vez completadas as suas milhas ou se notar algum destes sintomas, terá de procurar um serviço fiável para que os peritos possam avaliar os vários componentes do seu sistema de travagem. Afinal de contas, todos eles podem apresentar problemas.

Abaixo, algumas razões para você fica de olho. 

Como anda a manutenção dos freios?

1. Desgaste das pastilhas

De todos os componentes do sistema de travagem, as pastilhas de freio são as que se desgastam mais rapidamente. Isto porque são feitos de um material mais maleável do que os outros, e o atrito criado pela travagem torna-os mais finos com o tempo.

Os calços dos freios devem ser substituídos sempre que se desgastarem ou se o condutor tiver problemas ou dificuldades ao frear.

Alguns modelos mais recentes de carros têm um sistema de alarme nas pastilhas dos travões. Quando é altura de os substituir, um sensor alerta-o com luzes no seu painel.

2. Envelhecimento ou molhamento do fluido dos freios

O fluido é um componente que é frequentemente negligenciado pelos proprietários de veículos quando é altura de fazer a manutenção dos travões. No entanto, tal como outras partes, requer atenção.

Não é alterado constantemente, como é o caso do óleo de motor, mas apenas quando a data de expiração especificada pelo fabricante se aproxima (este período é normalmente de 2 anos).

O fluido das pastilhas pode absorver umidade ao longo do tempo, reduzindo a sua capacidade de manter uma temperatura estável. Quando perde as suas propriedades, interferirá na resposta de travagem.

Importância do fluído de freios

É importante que utilize sempre o fluido especificado pelo fabricante do veículo (DOT 3, DOT 4, DOT 5.1, etc.) e que não o encha apenas e nunca o substitua completamente.

Também é preferível evitar fluidos que tenham estado em recipientes não selados durante algum tempo, uma vez que a possibilidade de danos é muito maior.

3. Quebra do disco de freio

As pastilhas criam fricção no disco e travam o veículo. Embora usem mais, isso não significa que os discos não tenham este problema. Também se desgastam com o tempo e podem partir-se.

Partir um disco de freio é uma situação muito complicada porque pode tornar o veículo incontrolável. Afinal, as pastilhas de travão não serão capazes de travar o veículo porque não terão um disco para criar fricção.

Ao reparar o disco e substituir as pastilhas, é também aconselhável retífica do disco para que ambas as superfícies fiquem livres de ranhuras que possam dificultar a travagem.

Desta forma, o disco pode perder um pouco da sua espessura com cada manutenção e um pouco mais devido ao atrito, como mencionado acima.

Cada modelo de veículo tem uma espessura mínima do disco de freio especificada no manual do proprietário. Quando atinge ou se aproxima desta espessura, necessita de ser substituído.

É ideal selecionar sempre peças especificadas pelo fabricante do veículo e nunca peças usadas.

Para frotas comerciais, é ideal ter um sistema de inspeção para programar a manutenção preventiva e assim seguir as mesmas corretamente para o correto funcionamento do veículo.

4. Ressecamento das mangueiras

O sistema de freio consiste em tubos e mangueiras de cobre, que transportam o fluido para outras partes quando o pedal é pisado. Com o tempo, a mangueira seca naturalmente e precisa ser substituída para evitar vazamentos. 

Tubos de cobre têm maior durabilidade, mas se sofrerem algum impacto, podem ser danificados, dobrados ou rachados.

Portanto, ao realizar a manutenção no freio, também é necessário verificar as tubulações e mangueiras de todo o sistema para ver se estão intactas ou precisam ser substituídas.

Lembre-se de que vazamentos e danos aos tubos e mangueiras podem diminuir o nível do fluido de freio ou impedir que o sistema seja ativado. Ambas as situações apresentam riscos e podem levar a acidentes.

Deve-se enfatizar que peças de alta qualidade devem ser utilizadas para substituir peças antigas. Seu preço pode ser mais alto, mas sua durabilidade e segurança também são mais altas.

Freio ABS e sua manutenção

Além disso, as especificações do fabricante quanto às peças a serem utilizadas não devem ser ignoradas. É importante escolher aqueles que ele indicou para garantir que todo o sistema funcione harmoniosamente.

Para evitar acidentes e todos os problemas que apresentamos, é necessário respeitar o período de manutenção do sistema de freios e estar sempre atento aos sinais de avaria.

Desta forma, pode evitar danos ao sistema e desgaste de outros componentes, principalmente acidentes que podem ser muito graves.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você precisa de um seguro de automóvel que seja bom, eficiente, mas que não custe os olhos da cara? O Mãos ao Auto tem uma parceria com a Compara Online, site que faz a comparação, em minutos, dos preços e coberturas das principais seguraduras e acha o melhor custo/benefício para seu carro. Para isso, basta clicar aqui e seguir o passo a passo.