Dicas sobre limpadores de para-brisa

É simplesmente impossível dirigir um carro sem os limpadores de para-brisa dianteiro. Mesmo um piloto de Fórmula 1 , com toda tecnologia existente, se vê obrigado a “trocar” suas viseiras para conseguir pilotar na chuva. No caso de carros normais, ou de passeio, é bem diferente.

Se o limpador não funcionar, segundos depois de começar uma chuva, os vidros perdem sua transparência e a visibilidade é quase zero. Quase sempre o desespero toma conta do motorista e a situação fica perigosamente imprevisível. Mas por que esse acessório para exatamente quando precisamos dele? Quais são os seus principais defeitos e como evitar que a situação descrita aconteça ou se repita?

Dicas sobre limpadores de para-brisa

Limpadores de para-brisa não funciona – por quê?

Neste post explicamos alguns defeitos e dicas para que tudo corra bem ao dirigir na chuva. Normalmente o que mais acontece é queimar o fusível do limpador. E isso ocorre principalmente quando esquecemos da existência dele em períodos que não chove. Por ele ficar parado, às vezes por meses, a borracha do limpador costuma grudar no vidro, dificultando o movimento e o fusível pode queimar. Em alguns caso o motor do limpador pode queimar e o prejuízo será maior.

Primeira dica:

  • Não “esquecer” do limpador e ligar ele também em época de seca. também podemos levantar as palhetas antes de ligar o limpador para desgarrar do vidro.

Mas o limpador de para-brisa precisa de um conjunto de peças, além do motor, para funcionar.  Muitos modelos são equipados com o reservatório de água, que é lançada no para-brisa em conjunto com as palhetas de borrachas. Sua função é ajudar as palhetas a limpar melhor o para-brisa, além de ajudar a deslizar pelo vidro como um verdadeiro rodo.

Segunda dica:

  • Mantenha o reservatório de água do limpador de para-brisa sempre cheio. Isso ajuda no movimento dele, além de evitar possíveis arranhões por poeira.

Já falamos das borrachas das palhetas. Elas podem ser totalmente emborrachadas (as chamadas de “siliconadas”) ou ainda ter uma armação de metal. Nesse caso, o vidro pode ser arranhado por alguma ponta que sobressaia. É por isso que observamos alguns riscos que fazem um arco no para-brisa, acompanhando o movimento das palhetas.

Outra dica:

  •   troque as palhetas com frequência, principalmente quando a época de chuvas estiver chegando e mesmo que tenha pouco uso. As borrachas ressecam com o sol e o tempo, podendo causar o que foi citado acima.

A qualidade do produto também conta. Comprar e trocar palhetas de limpador sem procedência é uma temeridade, principalmente aquelas vendidas em semáforos, como se fossem quase uma ameaça do vendedor. Além de não ter qualidade, muitos limpadores têm sua máquina comprometidas. O peso e o tamanho podem quebrar o limpador.

Quarta dica:

  • Compre sempre uma palheta original. Embora seja mais caro, compensa em todos os sentidos.

São dicas fáceis de fazer que podem ajudar a não enfrentar uma situação inesperada e perigosa como ficar sem os limpadores de para-brisa durante uma chuva

Please follow and like us: