O que pode roubar carga de uma bateria

É muito comum dizer que algo está roubando carga de uma bateria. Mas quase sempre essa é uma justificativa por não saber a causa do problema. Depois que tudo foi verificado, como: estado da bateria, troca de bateria, teste em alternador e arranque, fiação principal, e ela continua descarregando, então surge a ideia de que algo está roubando a carga dela.  Na gíria é conhecido como: “ladrãozinho de carga”. O que poderia ser? E como descobrir que algo está roubando carga da bateria?

foto-boneco

Quando uma bateria descarrega totalmente, ou parcialmente, de um dia para o outro, pode ser que algo tenha ficado ligado durante a noite, ou por horas durante o dia, sem que o motorista notasse.

Normalmente são: chave esquecida ligada no carro, farol ou qualquer outra luz acesa, ou até mesmo uma porta aberta onde a luz de teto ficou acesa. Muitas vezes esta luz de teto também é esquecida acesa quando o motorista a liga dentro do carro. Uma maneira de saber se foi algo assim que descarregou o carro é observar o que vai ligar quando uma chupeta, ou carga auxiliar é aplicada para fazer o carro funcionar.

o-que-pode-roubar-carga-de-bateria

No momento da chupeta, imediatamente o “ladrão” é pego no flagrante com um farol que acende, o painel ou mesmo o rádio ligando na ultima estação ouvida, etc. Outros locais onde este ladrão de carga pode se esconder seriam: porta-luvas, quando ele tem iluminação; porta-malas também iluminado. Neste caso ele fica escondido mesmo, sendo necessário alguns truques de eletricista, ou detetive, para saber se a luz continua acesa mesmo quando as portas são fechadas. Uma sugestão é colocar um celular dentro do porta-luvas, ou porta-malas, e filmar se a luz permanece acesa. Imaginação também é bem-vinda nesses casos. Outra maneira de descobrir se algo está roubando a carga de uma bateria, seria o teste de fuga de corrente. O modo mais correto é usar uma alicate amperímetro de corrente contínua. Ele seria aplicado ao positivo da bateria e a fuga medida no visor. Mas na falta de uma ferramente assim, podemos usar a antiga e ainda boa lâmpada de teste, a mesma usada para testar fusíveis. Mas nesse caso é recomendado usar uma lâmpada de 10 watts, que não é tão forte para algo escapar, e  nem  tão fraca para não acender. O procedimento é desligar o negativo da bateria e ligar a lâmpada em linha entre o pólo negativo e o cabo do carro. Com tudo desligado no veículo e suas portas fechadas, a luz não pode acender. No máximo pode dar uma piscada e apagar. Quanto mais forte ela acender, maior a carga, ou o acessório que está causando a fuga. Se acender forte, e não apagar, começa um trabalho de procura. Uma opção para descobrir seria ir desligando fusível por fusível, até a luz ligada na bateria apagar. Em seguida você deve consultar o manual para saber qual circuito este fusível protege e ir direto no acessório indicado. Mas esse processo é mais recomendado para veículos com pouca eletrônica embarcada, pois alguns fusíveis podem desligar itens delicados, que não podem ficar sem energia.

fuga-de-corrente-1

 fuga-de-corrente-2Repare nas fotos ao lado. A da esquerda mostra a lâmpada de teste ligada em linha com o negativo de uma bateria (clique em cima para ver melhor). No caso não tem fuga, pois a lâmpada permaneceu apagada. Já a direita temos a mesma situação, porém abrimos a porta do carro e a luz interna acusou ao acender a lâmpada de testes. Isso seria uma fuga de corrente bem forte. Concluindo: o que pode roubar carga de uma bateria, embora seja uma situação rara, é normalmente lâmpada acesa fora das vistas do motorista. O resto quase sempre é por esquecimento de algum acessório ligado. Uma dica: kit de mídia, ou DVDs, instalados em loja de acessórios, podem roubar carga se não forem ligados de forma correta. Fique de olho nisso. Forte abraço para todos e qualquer dúvida pode ser publicada nos comentários.

Please follow and like us: