De todos os carros nacionais, o Fusca foi um dos poucos, talvez o único, que nunca modificou o esquema elétrico de seus faróis. Seja dos anos 60, 70, 80 ou 90, tudo é igual, variando em pequenos e quase imperceptíveis detalhes e também no acabamento, como a chave de farol que um dia virou tecla. Também a voltagem da bateria mudou um dia de 6 volts para 12, como é até hoje. Mas a fiação, lâmpadas, farol e relé, nada disso mudou por décadas. Este é um dos componente do charme do Fusca: quase sempre são idênticos em tudo.

Mesmo em modelos diferentes da Volks, como a Kombi, Variant e outros, o esquema elétrico do farol e suas peças são os mesmos do Fusca. Mesmo tão antigos, são extremamente duráveis e demonstram a brilhante tecnologia do período entre as primeira e segunda guerras mundiais. Naquela época de recuperação econômica (até para se fazer outras guerras) a indústria investia na durabilidade e isso incluía o setor automotivo.

Defeitos em farol de Fusca

Os principais defeitos eram em fusíveis, que, na maioria das vezes queimavam por caloria. Uma caixa de fusível de Fusca fixava os fusíveis por duas lâminas de metal, o que deixava aquele lugar muito quente. Por isso os primeiros fusíveis do Fusca eram feitos de porcelana e até hoje são conhecidos como fusíveis de louça, embora sejam atualmente fabricados de material plástico. Por ali acontece muito mau contato. Além de lâmpada queimada, os defeitos ainda podem ser: aterramento ruim ou bambo dentro do farol; chave de farol queimada e relé de farol com defeito. O relé é a peça redonda do esquema abaixo e faz um estalo alto quando é ligado ou transferido para luz alta. Ele fica dentro do “porta-malas” do Fusca em lugar bem evidente e tem um tamanho exagerado. Se chegar corrente nos terminais 30 e 56 (este com a chave de farol ligada) e nada acender, então muito provavelmente o relé estará queimado. Mas não é uma peça cara e ainda é encontrada no mercado.

Imagem: esquema12volts.blogspot.com

Imagem: esquema12volts.blogspot.com

Para trocar o relé de farol do fusca, basta obedecer as numerações do desenho acima (redondo), desligando e religando – um por um – no relé novo. O terminal com a letra “S” é de fio um marrom que vem do comando de seta. Ele aciona , ou comuta, o farol baixo/alto quando puxamos a alavanca da seta. É a chamada chave de relampejo. Tudo da parte elétrica do Fusca é bem visível, embora pareça misturado e desorganizado. Mas com um pouco de atenção e cuidado o serviço fica bem óbvio e fácil. Qualquer dúvida faça uma pergunta ao Mãos ao Auto que teremos o prazer de orientar o leitor. Abraços a todos.

Este é um relé de farol de Fusca

Este é um relé de farol de Fusca

Please follow and like us: