O que é um arranque?

Pode-se dizer que um arranque é uma peça “pós a pré-história” dos carros. Pois antes dele eram apenas carros, mas depois do advento do arranque passaram a merecer o nome de automóveis. O sentido da palavra “automóveis” é, obviamente, o de automação, nada interferindo no funcionamento que não seja acionado por movimentos simples. O freio é pisado, o volante girado, a marcha passada, e o carro se movimentando sem tração animal. Esta última observação é o princípio de tudo. Do mesmo modo a partida do motor, seu funcionamento inicial, ou arranque, deveria ser algo simples, bem ao contrário da foto do post. Mas este sistema de manivela ainda persistiu por um bom tempo.

Foto: carros.uol.com.br
Foto: carros.uol.com.br

O carro da foto acima é uma Kombinationsfahrzeug, ou, a nossa querida Kombi. Ela começou a ser fabricada no mundo a partir de 1950, o que significa que até este ano saíam da fábrica da Volks carros com partida a manivela. Talvez não tenha sido o último, pois outras fábricas claramente produziram modelos com manivelas até na década de 60, como o Gordini, por exemplo.

Quem inventou o arranque?

Eis uma boa pergunta. Talvez ele tenha sido aprimorado aos poucos, partindo de uma grande ideia: um induzido e escovas. Mas existe uma pista interessante. Bendix, Vicent Bendix foi o fundador da Bendix corporation, uma indústria especializada, pasmem, em freios de carros. Como aprimoramento do arranque ele é o responsável pelo chamado “eixo Bendix”, a revolução final de um arranque.

Basicamente o que mudou em décadas foi o tamanho das peças.

O que é um arranque?

Na foto acima vemos um arranque e suas peças em sincronismo. Este é o resultado final de todo “aprimoramento” de décadas. O seu funcionamento é uma amostra da genialidade humana. Da direita para esquerda da foto podemos entender como funciona. Quando damos partida no carro uma corrente elétrica é enviada para as escovas, o que faz o induzido girar e o Bendix (pinhão na foto) também. Ao mesmo tempo, em frações de segundo, a chave magnética (conhecida como automático) movimenta com força o impulsor (garfo). O resultado final e instantâneo é óbvio: o Bendiz entra girando no volante (os dois tem dentes semelhantes) e o motor gira até pegar. Este é o primeiro barulho que ouvimos quando ligamos o motor do nosso carro.

Além da funcionalidade do arranque, temos uma excelente durabilidade, fácil manutenção, e custo baixo na reposição de peças ou do conjunto inteiro. Basicamente o arranque é igual em todos os veículos do mundo, com pouquíssimas mudanças envolvendo apenas o direito de patente de algumas peças internas. Com certeza o arranque de partida é uma excelente amostra do quanto o homem quer conforto vindo de seu automóvel. Neste caso, sempre se busca cumprir a lei do menor esforço.

 

Please follow and like us:

This article has 1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *