A interessante relação entre um automóvel e a eletricidade

Estranho seria o termo certo para a relação entre um automóvel e a eletricidade. Movido por uma bateria de 12 volts, de corrente contínua, e alimentada por uma usina (alternador) de amperagem respeitável, um automóvel possui fios que convivem próximos demais da lata do carro, a um passo de um curto-circuito.

Explicando: um curto-circuito é o menor caminho percorrido por uma corrente elétrica, onde a resistência entre o pólo negativo e pólo positivo é quase zero (os fios se encontram antes de acender uma lâmpada, por exemplo).

Mas o nível de segurança hoje em dia é ótimo, sem quase nenhuma chance de acontecer algo além de um fusível queimado. O que é mais interessante é a relação entre a eletricidade externa e o seu carro. Raios e cabos de postes que se arrebentam. Como seria se seu carro fosse atingido por um destes acidentes de alta tensão?

Veja também: Raios e automóvel – uma relação única

A interessante relação entre um automóvel e a eletricidade

Imagine esta  situação:

Você está conduzindo seu carro em uma rua e, por um acidente qualquer, um fio de alta tensão se rompe e acerta seu veículo, ficando por ali, dando chicotadas na lataria. O que fazer diante de tanta aflição e medo? Veja outra opinião profissional:

“Se um fio de alta tensão se romper e cair sobre seu carro, fique dentro dele, pois ele está isolado do chão pelos pneus. Se você sair, mesmo que não toque no fio, você corre o risco de morrer, pois a eletricidade se propaga no solo e cria uma tensão chamada de tensão de passo, ou seja, se você der um passo muito longo, de cerca de um metro por exemplo você estará sujeito a uma descarga que percorrera seu corpo. Quanto maior a tensão do fio menor será a distância do passo que causará.”

E se você ficar dentro do carro, não haverá possibilidade de levar um choque. São situações assustadoras, mas que merecem um conhecimento prévio que pode salvar a sua vida e as de outros.

Please follow and like us: