O que significa um mito? Pode ser uma lenda sobre um assunto, uma narrativa fantástica para explicar o desconhecido, ou conhecimento inverídico e sem fundamento. Uma invenção, expressão figurada e exagerada. Mito é sinônimo de alegoria. Existem mitos sobre carros? Sim. Quase sempre é uma explicação para determinadas marcas ou modelos de uma mesma fábrica de automóveis. Pode ser uma lâmpada que queima mais, ou uma bateria que durou quase uma década e outras que duram um ano apenas, mesmo sendo da mesma marca. Nesse post veremos mitos sobre troca de óleo e mais 4 outros mitos sobre carros

Alguns exigem demais de um acessório, quase vida “eterna”, se surpreendendo com o fim “prematuro” dele. É assim com pneus, óleo de motor, óleo de caixa, ou até freios. Quase sempre acontece com algo que não está a vista do motorista. Mas é oriundo desse tipo de desleixo que alguns mitos surgiram no meio automobilístico. Alguns bem clássicos. Fizemos uma lista apontado e desmistificando os mitos sobre carros, entre eles a troca de óleo de motor. Veja abaixo.

mitos sobre troca de óleo

5 mitos sobre carros desmistificado

O alternador

Muitos acham que o alternador tem a obrigação de carregar uma bateria. Ou seja: seria o mesmo que colocar uma bateria totalmente descarregada no carro e contar com uma carga total do alternador. Isso é mito. O alternador é um repositor imediato de carga usada. Liga-se o farol e a energia gasta é reposta, a ventoinha é acionada e a carga dela é enviada para a bateria. Seria como a boia de uma caixa de água que permite entrar a água que saiu até completar. Daí fecha o registro. Mas e quando a bateria parece que ficou boa somente com o uso do motor? Isso pode acontecer, mas é meia bomba. Se o sistema elétrico do carro precisar de fato da bateria ela vai arriar. Carga completa somente uma ferramenta consegue fazer, e tem o nome exato da situação: carregador de bateria. Ele demora horas para completar uma carga de bateria (em bom estado) e em descanso, sem nada ligado nela a não ser ele mesmo.

mitos sobre troca de óleo

 

Pneus

Outro mito é achar que não rodar com um pneu (carro de garagem, por exemplo) lhe dá condições de ficar indefinidamente no carro. Alguns pensam que não estando careca o pneu está em condição de rodar. Mas um pneu tem prazo de validade, mesmo que fique na prateleira de uma loja. Vencido esse prazo, ele começa a se deteriorar, literalmente pode desmanchar, perder pedaços, ou simplesmente não funcionar na hora que for preciso. A data de validade vem gravada no corpo do pneu. (VEJA AQUI)

mitos sobre troca de óleo

 

Óleo de motor

É o mesmo mito dos pneus que não rodam. Deixar um carro na garagem ou rodar muito pouco com ele não significa que o óleo está em boas condições. O tempo também conta, pode “estragar” o óleo. Aliás, todos os tipos de lubrificantes tem prazo de validade após sua fabricação. Como isso é pouco divulgado pelos fabricantes, o correto é seguir o que o manual do seu carro recomenda. De preferência diminua um pouco o tempo ou quilometragem sugerida para a troca. 

Vida útil da bateria

O fato da bateria do seu carro estar com 4 anos não significa que ela está saudável eletricamente. Ela também tem uma vida útil estabelecida pelos controles de qualidades da sua fábrica.. A maior garantia que existe no mercado é de 2 anos. o que é um parâmetro para calcular essa vida útil. Mas o fato da bateria durar muito, 4, 5, ou até 7 anos, não significa somente que a marca é boa. O sistema elétrico do carro ajuda muito nisso. Quanto mais acessórios elétricos menor é a durabilidade da bateria.

Troca de óleo e outros mitos

Trocar a bateria com o motor ligado

Um ato muito comum é trocar uma bateria com o motor ligado. Enquanto alguém acelera o motor outra pessoa retira a bateria do carro e instala outra. Isso não é apenas um mito. É um erro grave! Em carros antigos como Fusca, Kombi, e até alguns Opalas, isso era aceitável.

Por que é perigoso? Porque no momento que se desconecta o carro de uma bateria o alternador dispara ou libera uma sobrecarga que pode passar dos 20 volts. Como a amperagem liberado pelo alternador é proporcional ao aumento da voltagem, o estrago pode grande. Já vimos tá casos de queima de central de injeção, computador de bordo e tudo que está ligado no momento dessa troca. É algo proibitivo, um suicídio elétrico. Já nos carros antigos não havia quase nada para queimar. A partir dos veículos equipados com muitos relés essa prática começou a causar sérios prejuízos. Não faça ou não deixe outro fazer.

O mais importante é o dono ou motorista estar cada vez mais informado. Já reparou na grossura do manual do seu carro? Não é sem sentido. São informações que o próprio manual explica: “para o proprietário”.  Quase todos os “mitos” sobre carros estão esclarecidos nesses manuais. São aviso preventivos. Estude ele.

 

Você precisa de um seguro de automóvel que seja bom, eficiente, mas que não custe os olhos da cara? O Mãos ao Auto tem uma parceria com a Espínola Corretora de Seguros, que tem anos de experiência e trabalha com os principais seguros do mercado - e garante preços muito bons. Para fazer um orçamento, basta clicar aqui e preencher esse formulário. Nós encaminharemos seu pedido para a corretora, que entrará em contato trazendo a melhor oportunidade para você.