Alternador e a bateria

A medida de carga basicamente não mudou nada. Os equipamentos para testar um alternador são os mesmo; as medidas de carga podem variar apenas de carro para caminhão, por exemplo. Mas nos carros mais modernos a bateria passou a ter um influência muito mais importante do que outros mais antigos. Isso acontece em sistemas de carga  que entraram recentemente no mercado brasileiro. O do Honda serve como exemplo. Também, novos componentes internos  podem exigir mais atenção na hora da medida feita na bateria.

Alternador de sistema COM

Já fizemos uma matéria sobre esse sistema COM que equipa o alternador do Honda mais moderno, o City. São novas tecnologias que podem enganar quem não se aprimora. Ele simplesmente trabalha em standby, carregando quando algo é ligado no carro. O problema é que, ao medir sem ligar nenhum acessório, a medida vai ser de peça com defeito, com pouca carga. Mas não é. Já vimos ocorrer a troca da peça inteira e o “problema” persistir aos olhos do reparador.

alternador

Também é muito importante o dono do carro ler o manual  para se informar dessas novidades elétricas. O grande problema para todos é que, além da peça com defeito, outras podem ser condenadas sem necessidade, apenas por falta de informação. No caso citado acima o cliente procurou a oficina por causa de bateria arriada. Ela foi trocada, mas uma medida “estranha” foi apurada.

Bateria e alternador – Novos testes

Além do sistema COM, ficou bem evidente em várias pesquisas e experiências, que o estado da bateria passou a ser mais sensível aos alternadores mais modernos. Isso significa que um simples teste de bateria pode enganar na hora de medir um alternador. O que reparamos é que em um carro onde o alternador não carrega nada, mesmo depois do reparo, a medida de teste do alternador fica baixa. É bom lembrar que o defeito original foi bateria arriada.

alternador

Como existia a possibilidade de testar com outra bateria, o defeito ficou bem evidente quando a medida se alterou, ficando normal. Em carros mais antigos uma bateria com defeito modificaria essa medida para mais, como um excesso de carga. Mas seria uma bateria em péssimo estado, e não uma que passou em testes e virava o motor normalmente, depois de carregada na bancada. A solução foi simples no caso citado: defeito no alternador e bateria com defeito oculto.

Você precisa de um seguro de automóvel que seja bom, eficiente, mas que não custe os olhos da cara? O Mãos ao Auto tem uma parceria com a Espínola Corretora de Seguros, que tem anos de experiência e trabalha com os principais seguros do mercado - e garante preços muito bons. Para fazer um orçamento, basta clicar aqui e preencher esse formulário. Nós encaminharemos seu pedido para a corretora, que entrará em contato trazendo a melhor oportunidade para você.