Está sem tempo para ler o conteúdo? Gostaria de poder acompanhá-lo enquanto dirige, caminha ou realiza outra atividade? Então não perca tempo e ouça este artigo na íntegra. Basta clicar no play!


Pode isso? Alguém odiar coisas sobre carros? Sim, pode. Mas não seria um ódio mortal, daqueles que não queremos ver, fazer, ou que temos horror. Muitas vezes pode ser uma situação de imprevisto, onde nossa desatenção produz raiva pela consequência. Talvez o termo mais exato seria odiar fazer manutenção no nosso carro, ou simplesmente não se preocupar com isso, o que é uma espécie de ódio pelo carro e masoquismo com o nosso bolso.  Bom, então envolve manutenção? Mexer com óleo, graxa e outros serviços? Quem poderia gostar desse tipo de coisa?

5 coisas que as pessoas odeiam sobre carros

Muitos amam essas coisas odiadas em carros. Mas alguns não se importam, pois deixam que outros resolvam essas questões. Ou seja: pagam para não sujar as mãos. Nada demais por isso. Mas nem sempre nosso mecânico está na nossa memória.  Sempre nos lembramos dele quando surge um “barulhinho” no carro, ou por que algo parece ranger dentro do compartimento do motor. Nesse momento, quase todos nós abrimos o capô do motor e ficamos ali, parados, tentando entender o que está à nossa frente, onde procurar, ou colocar a mão. É nessas horas que os mecânicos são mais lembrados.

5 coisas que as pessoas odeiam sobre carros

Foto: https://pixabay.com/pt/ford-mustang-motor-capa-bonnet-1242192/

5 coisas que as pessoas odeiam sobre carros

1 – Motores e suas “sujeiras”. Óleo, graxa, como já dito. Elas se espalham pelo compartimento do motor e acabam sujando as mãos e roupas. Mas uma inspeção mínima é necessária para que não aconteça um grande prejuízo. Basta pedir pra alguém, de preferência um mecânico, que verifique e corrija o nível de óleo e o nível de água do radiador. São medidas simples e acostumar  a fazer  isso cria uma boa  rotina.

2- Pneu furado. Pode parecer absurdo, mas a maioria dos motoristas não sabe trocar um pneu furado. Muitos simplesmente não querem aprender a trocar. Mas, de fato, é um serviço difícil, perigoso, e sujo. Até quem tem costume de trocar faz cara feia quando um pneu aparece furado. Principiantes devem aprender primeiro antes de se aventurar em trocar um pneu. Ler o manual de instrução seria o primeiro passo. Em seguida pedir ajuda de profissionais. Mas no caso de dúvida é melhor não trocar por causa do perigo envolvido. Afinal estamos falando de levantar toneladas em uma situação que merece atenção total. Mas existe algo que podemos aprender a fazer: verificar o estado do estepe, se está calibrado e pronto para rodar em caso de emergências como essas.

5 coisas que as pessoas odeiam sobre carros

 

3 – Lavar o carro. Outra situação que pode surpreender  muitos: não gostar de lavar o carro, sequer passar um aspirador por dentro. Carros sujam, pois são de uso diário. Prejuízos também podem acontecer como carpetes irrecuperáveis, manchas nos assentos que podem desvalorizar o veículo, entre outros. Mas não existem lava-jatos? Sim. Mas muitos motoristas ainda acham ser um dinheiro jogado fora, que a qualquer momento ou em um dia qualquer a limpeza será feita pessoalmente. Mas isso acaba não acontecendo.

4 – Ficar sem combustível. Existe isso ainda? Pois parece que voltou a acontecer, e muito. É corriqueiro andar sempre com o combustível na reserva, com aquela luz tipo “bomba de gasolina” acendendo o tempo todo no painel. Mas essa economia também pode causar prejuízos. Quanto mais perto da reserva maior a quantidade de impurezas que a bomba de combustível vai puxar. Isso pode causar a queima dessa bomba, sujar ou travar os bicos da injeção eletrônica, e até acender a luz de advertência. Nesse item, quase sempre é muito ruim ficar na mão por falta de combustível. Mas o citado acima pode fazer um motorista odiar a situação. A questão é economizar combustível? Existem outras soluções para ajudar.

5 – Bateria arriou. Ela até pode arriar por acidente, como um acessório deixado ligado por horas. Mas ficar sem bateria, ou energia, porque nos esquecemos dela, é cada vez mais comum. Praticamente invisível para o motorista, é bom saber que é o tempo e uso de uma bateria quem comanda sua vida útil. E quase sempre ela arria  em situações bem desagradáveis que podem fazer o motorista odiar a bateria. Mas como também envolve sujeira e certa habilidade, a sugestão é acompanhar o tempo que ela está no carro, ou quando foi a última troca feita. Dois anos de uso já é motivo para ligar o sinal de alerta.

Também não devemos culpar nosso carro por causa do trânsito maluco de hoje em dia (outra coisa de carros que podemos detestar). Não devemos odiar nosso carro. Afinal é como se fosse um membro da família e bem dispendioso, diga-se. Então o conselho é fazer manutenções periódicas para que não passemos por situações de “ódio”ou raiva. A culpa sempre vai ser de nossas atitudes.

Please follow and like us: