Partida no carro com ar-condicionado ligado

Pode isso Arnaldo? Pode. Mas somente quando o ar-condicionado for original de fábrica, instalado na fábrica. Por que? Simples: nos originais de fábrica existe um “chefe”, sim um gerenciamento eletrônico que atua no funcionamento do compressor. Já os carros com ar adaptados não possuem esse conforto eletrônico. Tudo tem haver com a potência do motor do seu carro. Falamos das cilindradas desses. Mas não é algo referente a grande potência e sim a cilindrada mais baixa. É exatamente nesse caso – potência menor – que existe uma interferência maior do ar no motor, ou do compressor dele no motor. Alguns modelos, mais modernos, possuem este dispositivo eletrônico de fábrica que desligam automaticamente o ar para melhorar o desempenho do motor, no caso do momento da partida.

Alguns itens do carro são preservados por esse sistema eletrônico, como a bateria, o arranque, fiação em geral, e até evita a possibilidade de simplesmente o carro não girar, caso já esteja com bateria ruim e/ou arranque fraco. E sabemos que um desgaste da carga da bateria pode ocorrer a qualquer momento, seja por defeito nela ou por mau uso de algum equipamento elétrico. O uso do rádio por horas é um exemplo disso. Quando damos partida depois de horas escutando música (em festas e reuniões de família é muito comum) o correto é desligar todos os acessórios, dar um tempo para recuperação da bateria, e então acionar a partida. No caso do ar-condicionado moderno isso é automático para o motorista.

É um conforto acrescentado aos veículos mais modernos, de fábrica, porque também é comum deixarmos o ar-condicionado ligado quando desligamos o carro. Para que isso não interfira em carros sem esse equipamento, é necessário desligar o ar antes de sairmos do carro. E os carros mais antigos possuíam motores mais fortes, com bem mais cilindradas. Além disso, um veículo do passado vinha equipado com motor de partida bem mais robusto e resistente do que os de hoje. A fiação também suportava mais calorias. É evidente que o conjunto de modernização trouxe mais benefícios do que problemas. Mas alguns detalhes foram ajustados para compensar outros do passado, como no caso da eletrônica embarcada. E é exatamente ela que interfere no ar-condicionado no momento da partida. Isso faz parte da evolução tecnológica.

Partida no carro com ar-condicionado ligado

Foto: http://www.bairrovilaolimpia.com.br/

Mas isso não significa que simplesmente devemos “esquecer” o carro e deixá-lo funcionar sozinho. Ele ainda não é um robô avançado, com capacidade própria. Embora seja esse o objetivo das montadoras e seus engenheiros, um acompanhamento de todo o funcionamento do carro pelo motorista é essencial. O grande avanço tecnológico é avisar com mais precisão sobre o estado geral do carro. Alguns até se desligam quando há um perigo elétrico eminente. Esse processo é repetido no caso de partida no carro com o ar-condicionado ligado. Algumas desvantagens do uso do ar-condicionado ainda permanecem, como o aumento do consumo de combustível. Mas também já foi bem pior exatamente pela potência bem maior dos carros mais antigos (o ar-condicionado é uma invenção bem antiga, quase dos primórdios da indústria automotiva).

Outra curiosidade, onde a atenção do condutor é essencial, e a possibilidade de ficar com sono ao volante, quando usamos o ar-condicionado. Mas isso é outro assunto encontrado nesse link: Ar-condicionado pode causar sono.

Please follow and like us: