Rural. Um carro família!

Rural. Um carro família! Por que o nome Rural? E por que um carro família? Os mais novos talvez nunca tenham ouvido falar da Rural. Mas com certeza já viram uma rodando pela cidade e logo pensaram em uma antiguidade de um colecionador qualquer. Mas a Rural foi a precursora de muitos carros de luxo dos dias de hoje, principalmente dos utilitários esportivos com a capacidade de levar a família inteira por estradas bem asfaltadas ou por caminhos da roça, todos de terra e com muita lama quando chovia.

Também é considerada  o primeiro veículo desse tipo todo feito de metal. Os anteriores possuíam carrocerias de madeira. Mas como toda mudança de  tradição incomoda, alguns modelos saíram  de metal, mas com a parte de trás pintada como se fosse de madeira.

rural-carroO nome Rural pode ter sido ironizado pela imprensa da época, dada a deboches, criando e zombando de fracassos no setor automobilísticos. Basta relembrar quantos apelidos foram criados naquela época. Mas como caiu no gosto do consumidor, a Rural só ganhou elogios, principalmente pela sua robustez e capacidade de carga. E como o tal consumidor foi exatamente o alvo das propagandas, os elogios aumentaram. Naquele época a família era sagrada na prática, o grande alicerce da sociedade. Nos seus primórdios, a Rural foi fabricada no Brasil pela Willys Overland. Mas a Ford deu um pulo nas concorrência e comprou a fábrica e o direito de produzi-la. A maior inteligência da Ford foi manter todas as características do modelo da Willys, conforme ela está retratada na imagem acima. Somente em 1975 mudaram o motor para um Ford OHC quatro cilindros. O mercado  exigiu, ou melhor dizendo, a crise do petróleo não permitia o luxo de um motor seis cilindros. Os modelos com duas cores foram um sucesso. Muitos consideravam um charme maior do que o da Kombi, que inovara no bicolor. A mecânica era da época: simples.

power-sports-1015688_1280

E como todo o conjunto da era muito forte – fabricavam com tração 4×4 ou 4×2 – dificilmente uma Rural deixava seus passageiros na mão, pois o simples era a parte elétrica, e alguns macetes que qualquer um conhecia e consertava. Quem gosta de carro sabe o que é desejar conhecer tudo do seu automóvel. Pois antigamente isso era mais comum entre os proprietários. Tanto que as fábricas vendiam seus automóveis  com um bom conjunto de ferramentas originais. Era uma situação que ia muito além de simplesmente lavar o carro e depois passar aquela cera básica. Isso era, de fato, o final de tudo, o acabamento para tirar as manchas de óleo em forma de “mãos”, deixando a Rural pronta para um passeio que bem poderia ir além de uma volta pela cidade.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *