Bateria de Fusca. Dicas para não descarregar

A bateria do Fusca é famosa por descarregar mais rapidamente do que outros carros, até mesmo de “irmãos” da sua época. A bateria da Kombi antiga, por exemplo, tinha uma carga mais duradoura embora fosse a mesma do Fusca. Lembrando que a bateria original do Fusca é a famosa bateria invertida. Mas descarregar com certa regularidade não significa necessariamente um defeito na bateria do seu Fusca. Existem casos  em que até baterias novas, e de marca top, também descarregam depois de um certo tempo. A resposta é simples.

bateria-de-fusca-descarregando

Esta peça com uma polia meio dourada é um dos mais antigos “carregadores” de baterias instalado em um carro. É o famoso gerador, precursor do alternador, este sim usado até os dias de hoje. São na verdade a usina de energia do seu carro, e responsáveis diretos pela sustentação da carga da bateria. O “Herbie” aí em cima, o da foto, tinha um destes no motor. Dizem até que este era o calcanhar de Aquiles dele. Vale a pena conferir os detalhes do filme da Disney.

Por que esta fraqueza? Tecnologia é a resposta. Quem já usou um relógio de pulso e de corda sabe o que acontece com a tecnologia.

bateria de fusca arriada

Pois bem. O gerador seria como um relógio de corda, e o alternador um relógio automático (pesquisem no Google). Mas como dar “corda” em um gerador?

Bateria de Fusca. Dicas para não descarregar.

bateia de fusca

Acelerando o motor. Um gerador carrega a bateria somente acima de 700 RPM. Mas a lenta de um Fusca é de 650 RPM o que significa o seguinte: para carregar a bateria de um Fusca o motorista tem que acelerar o motor. E por isso que as luzes do óleo e do gerador do Fusca ficam acesas, ou “tremendo” no painel, na marcha lenta. Neste momento a bateria não está sendo carregada.

Outro problema é a pouca eficiência do gerador. O Dínamo, como também é conhecido o gerador, não produz corrente 100 por cento contínua, o que não acontece com os alternadores que tem uma mesa retificadora de corrente no seu circuíto. Junta-se a isso, a pouca energia gerada. Com o tempo a soma de gasto de energia do Fusca vai ser maior do que a produzida pelo gerador e a bateria vai descarregar.

O recomendação é a aplicação de uma carga lenta na bateria, como parte da manutenção do carro, de seis em seis meses e não deixar seu Fusca parado, o transformando em “carro de final de semana”. Evitar a instalação de acessórios que não vem de fábrica também é de grande ajuda.

Please follow and like us:

This article has 10 Comments

  1. Fernando, boa noite… tenho um Fusca 6 volts. Essas baterias estão cada vez mais escassas. Carga lenta em auto elétrico também está difícil, já que os equipamentos são modernos e 12 volts. Você poderia me recomendar algum carregador ou sabe me informar se estes à venda na internet são bons ou podem causar problemas na bateria? Outra informação, para manter a bateria desligada, enquanto não em uso, desliga-se o pólo positivo ou negativo?
    Muito obrigado e parabéns pelo seu post

    1. Olá Maurício. Para desligar uma bateria devemos sempre desligar o negativo primeiro por uma questão de possibilidade de curto acaso soltemos o positivo. Existem carregadores de 6 volts no mercado e a qualidade vai depender da amperagem dele. Um de 5 A estaria de bom tamanho.

  2. Houve um engano na afirmação : “O Dínamo, como também é conhecido o gerador, não produz corrente 100 por cento contínua, o que não acontece com os alternadores que tem uma mesa retificadora de corrente no seu circuito. ”
    O dínamo, ou gerador, já produz corrente contínua. Não necessita de pontes de diodo para retificação. Aliás, quem não fornece corrente 100% contínua é o alternador, que produz corrente alternada que é retificada pela ponte de diodos. Assim sendo, você terá uma corrente retificada, e não contínua como no gerador, ou dínamo. Basta ligar um ocililoscópio na saída de um alternador e de um gerador que verá a forma da onda que cada um produz.
    Por produzir corrente contínua, e normalmente com corrente mais baixa que os alternadores, o gerador, ou dínamo, carrega muito melhor a bateria. Bateria gosta de corrente contínua e carga mais lenta, o que não ocorre com alternadores. Alternadores só são melhores que os geradores no caso de demanda maior de corrente pelo carro. Os geradores dão no máximo 35A, que são suficientes para a demanda de qualquer carro normal. Já os alternadores chegam a 120A ou até mais, e são necessários para carros cheios de acessórios e eletrônica embarcada.
    Quanto às luzes acesas em marcha lenta no Fusca, o normal é só o piloto de carga da bateria acender. Caso acenda a lâmpada piloto do óleo, poderá ser problemas na bomba de óleo, desgaste excessivo do motor, mola da válvula de alívio com carga abaixo do normal, ou óleo de má qualidade, que não mantém viscosidade em temperatura mais alta.
    Caso o carro seja de “final de semana”, um carregador de flutuação, com corrente o mais reduzida possível, por volta de 1 a 2A e tensão de 13,8v, poderá e até deverá ficar ligado continuamente, mantendo a bateria sempre cheia, como deve ser nas baterias de chumbo-ácido. Mas o ideal mesmo é rodar no carro, que foi feito para isso. É um automóvel, não um auto-imóvel.
    No mais, obrigado pelas informações que tenho por enquanto. Vou navegar por sua página, aprendendo mais. Aprendo uma todo dia, e fico feliz por isso.

    1. Olá Walter. Obrigado pelo comentário e a correção. De fato o dínamo não precisa de retificadores o que faz dele uma “usina” de corrente continua. Sua explicação foi perfeita. Abraços e fique a vontade para comentar.

  3. Ola, tenho um fusca 76 e agora descobri o porque de vez em qd tenho que carregar, normalmente muitos comercios n gostam de atender meu fusca.
    Tbm fiz uma recarga com os cabos negativo e posituvo lugados, isso prejudica o dinamo e o regulador? A pessoa q carregou me disse que nao por ser dinamo. Agradeço suas orientaçoes, pois quero aprender como funciona minha maquina p n sofrer nas ruas, Ha 5 meses pegou fogo na rua, cinsegui apagar,o mecanico arrumou e consegui chegar em casa, mas começou queimar o platinado, ja troquei 3. Me disseram que e a gasolina,
    Agradeço e estarei lendo suas dicas, obrigada

    1. Olá Suzana. Grato por participar. Quanto ao platinado, verifique se a bobina é específica para platinado. Se ela for para ignição eletrônica, ela queima o platinado em pouco tempo. Gasolina não queima platinado e sim afeta o carburador.O fusca pode pegar fogo porque a mangueira de combustível passa muito perto do distribuidor. Se ela estiver ressecada ou sem abraçadeiras, pode vazar gasolina e a centelha do distribuidor causa fogo na gasolina.Quanto a recarga com os cabos ligados, é perigoso quando se usa o carregador de lâmpada incandescente (dos antigos). Mas é sempre bom desligar pelo menos o negativo da bateria para que a carga seja em total repouso. Um dínamo montado com peças originais é um bom repositor de carga desde que o Fusca seja usado diariamente.

  4. Prezado Fernando.
    Tenho um fusca de 6 volts e estou em dúvida se posso ou não dar uma carga na bateria utilizando um carregador de 12 volts, no modo lento.
    Outra coisa: você comentou acima que existem bons carregadores de 6 volts no mercado. Seriam os carregadores para brinquedos e alarmes?
    Desde já agradeço e desculpa pela ignorância sobre o assunto.

    1. Olá Daniel. Depende do modelo do carregador Tem que ler as característicaa técnicas dele. Se ele for um carregador somente de 12 e sem referência nas instruções para 6 , então não serve para o seu caso. Normalmente o carregador que você procura bem escrito que sua tensão vai de 6 a 14 volts e a amperagem tem que ser por vola ria 4A,no mínimo. Na Internet encontramos muitos modelos, bastando digitar a voltagem dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *