Eletricista de automóveis é um profissional cada vez mais requisitado

Eles não tem um sindicato próprio. São agregados de outros, como determinados sindicatos de mecânicos. Mas não é difícil de compreender as causas do que pode ser chamado de desamparo de outros profissionais. Até pouco tempo atrás, não existia a profissão de eletricista de automóveis. Existia a  de eletromecânico, um mecânico com experiência em elétrica automotiva. Era uma maneira que este profissional encontrava de aumentar o movimento de sua oficina, ostentando com orgulho sua qualificação em uma placa colorida.

Eletricista de automóveis é um profissional cada vez mais requisitado

Eletricista de automóveis é um profissional cada vez mais requisitado

Para quem não assistiu a série de televisão Macgyver (o Magaiver da placa) vai aqui um pequeno trailer escrito explicando:

” MacGyver foi uma série americana de televisão de ação e aventura… Criada em 1985…  Conta a história de um agente secreto que ficou conhecido por solucionar situações e problemas com o que tinha em mãos. Ele desarmava bombas encontrando saídas de situações de quase morte, muitas vezes usando o seu famoso canivete suíço…”

Foi um sucesso que marcou sua época. Mas vem daí o apelido de “Maigaiver” para alguém que resolve tudo sem a instrução adequada, como o da placa da foto acima. Basta lembrar que o personagem era um cientista contratado para ser um agente secreto.

Eletricista de automóveis é um profissional cada vez mais requisitado

Foto: Paramount/Everett Collection

Eletricista de automóveis é um profissional cada vez mais requisitado

Pois bem. Assim também eram os mecânicos de 30 ou 40 anos atrás. Eram verdadeiros “Magaivers” que descobriam a solução de problemas elétricos de carros sem a instrução adequada ( as vezes através de um curso por correspondência). Era como uma prática imposta pela falta de profissionais da área no Brasil.

Com o tempo foram surgindo cursos presenciais. E cada vez mais escolas especializadas em eletromecânica e eletrônica de automóveis foram formando turmas de interessados. Bem diferente do início de carreira de um mecânico, era um privilégio para um eletricista de automóveis entrar no mercado com um bom curso teórico.

O interessante era que os professores também eram homens com muita experiência de vida. Talvez até foram “Magaivers” um dia, além de montadores de peças elétricas para automóveis. Era a teoria se juntando a prática. Mas a prática nunca perdeu sua importância. Por isso o tempo de serviço de um profissional como esse é tão importante quanto o de um engenheiro ou um médico.

Quando procuramos um eletricista automotivo ele tem a capacidade imediata de saber qual é o defeito do nosso carro. Ele não precisa do processo antigo de tentativa e erros para descobrir o que fazer, algo bem peculiar do aprendizado a força dos nossos antepassados.

Mas por que é uma profissão essencial?

Seu carro continua tendo motor, caixa e suspensão. A mecânica dele é basicamente a mesma de décadas atrás. O que o diferencia do passado é exatamente a evolução elétrica e eletrônica que ocorreu em todo mundo. Hoje um eletricista não é apenas um testador de fusíveis, mas um técnico capacitado para medir tensões mínimas, diagnosticar o impensável para um mecânico que não se atualizou. Aliás, atualização é a matéria mais constante da vida desses profissionais. Sempre há algo de novo no mercado, provocando novos defeitos. Grandes montadoras passaram a investir na profissionalização de seus funcionários, introduzindo profissionais gabaritados no mercado. Por isso, procurar por um diploma em uma oficina também é saber escolher um técnico capacitado para consertar o seu carro.

 A grande verdade é que os profissionais da área automotiva passaram a ser cientistas, se comparados com os “Magaivers “de antigamente. Mas, não podemos esquecer que ainda falta um sindicato específico para eles.

Please follow and like us: