Praticamente não. Não para o consumidor final, aquele que um dia comprou uma bateria e quer completar a solução dela. Somente as fábricas de baterias, na sua linha de produção, aplicam as chamadas soluções ácidas em seus produtos. Mas como ela, a solução,  é diluída em água destilada, o que “seca” dentro da bateria é exatamente esta água, a solução se agarrando as placas de chumbo. Então não é preciso colocar solução em uma bateria usada. Evidentemente que nos referimos a baterias que precisam de manutenção, já que as seladas não necessitam de cuidados assim. Muitas vezes, quando a água seca, a bateria arria, provando que a manutenção tem ser feita antes do defeito acontecer, pois pode ser tarde demais.

Essa é uma típica bateria que pede manutenção.

Esta é uma típica bateria que pede manutenção.

Como fazer?

Não trabalhe sem luvas adequadas e óculos de proteção. Também tome cuidado com suas roupas, pois se respingar umas gotas nelas, futuramente aparecerão alguns furos. Para saber se a bateria precisa de água abra os selos que estão sempre bem visíveis, ou debaixo de capas fáceis de se retirar. Feito isso, verifique se um espelho d’água é visível cobrindo os elementos. Mas se você ver pequenas placas alinhadas é sinal que terá que completar com água sem minerais, encontrada em alguns postos de gasolina. Encha até o espelho d’água aparecer novamente. E atenção: não encha até a borda. Isso vai fazer a bateria “expulsar” o excesso para fora e estragar o metal ou a pintura do seu carro.

Ao envolver as placas de chumbo (a água), e receber carga, a solução presa ali se solta e a água passa a ser muito corrosiva. Feito isso, carregue a bateria de preferência em carga lenta antes de usá-la novamente. Se o defeito persistir a solução é trocar por uma nova. Lembrando que as fábricas de baterias não dão garantia para produtos que não receberam a manutenção indicada. Então, leia sempre o manual quando efetuar a troca de sua bateria.

Please follow and like us: