Nossa pergunta é: por que o carro elétrico ainda não existe de fato?

É nítido, em qualquer país do mundo, uma certa resistência a fabricação em série dos experimentos já testados e aprovados. Mas por que não aliar os combustíveis já existentes? O nosso carro FLEX é um bom exemplo disso.

Mas prestem atenção nesta historinha: Em 1977 foi introduzido o motor a álcool no Brasil em escala industrial, algo único no mundo. O carro caiu no gosto popular e no ano de 1986 96% dos carros que saíam de fábrica no Brasil eram movidos a álcool, uma questão de oferta e procura. Sem aviso, o preço do açúcar disparou no mercado mundial e os produtores de cana de açúcar, matéria prima do etanol brasileiro, preferiram vender sua produção para o mercado açucareiro. O resultado foi um aumento do preço do álcool combustível e assim o carro a gasolina ficou mais viável. Teoria da conspiração à parte, realmente foi uma retomada na venda de combustíveis fósseis no Brasil. Mesmo hoje, no motores FLEX, o álcool dificilmente é mais vantajoso que o uso da gasolina.

Esse também pode ser o raciocínio sobre a não proliferação do carro elétrico. Por que ter um veículo que transformaria completamente até os postos de gasolina? Com o tempo, pouco tempo, o numero de veículos elétricos seria bem maior do que outros. O consumo de gasolina ia zerar, como quase aconteceu no Brasil, haveria muito desemprego, alcançando setores que nem imaginamos que dependem da indústria petrolífera. Estranha coincidência com o caso do carro a álcool brasileiro, não é mesmo?

Mas durante um tempo o grande problema da viabilidade do caro elétrico foi a baixa eficiência das baterias que ocupavam mais espaço do que passageiros, aumentando o peso a ser transportado e outros fatores como a falta de pontos espalhados para recarga das baterias. O produto final era caro e com pouca autonomia. Mas outras vantagens continuam empolgando os pesquisadores. O fato de ser um motor não poluente, silencioso, além de ter uma velocidade constante não importando  geografia do terreno, incentiva a busca de um carro elétrico eficiente e economicamente viável.

carro eletrico

E quais são as novidades em pleno século 21? Novas baterias foram inventadas, menores e com poder maior de recarga. Além disso, como dissemos no início do post, a melhor solução é unir vários combustíveis em um carro. Que tal o trio: Etanol, gás veicular e eletricidade? Alguns países como a Alemanha já possuem veículos que misturam formas de combustível com o motor elétrico. Mas lá eles usam o diesel, gasolina e eletricidade no mesmo carro. Tirando o elétrico, o resto continua sendo poluente.

Quando teremos o carro elétrico?

Muito se fala sobre combustíveis alternativos. Mas a grande verdade é que os veículos com esses combustíveis foram todos fabricados pela poderosa indústria automobilística. Isso significa que devemos esperar um carro elétrico, ou outro qualquer, sendo anunciado pelas montadoras. E não tenham dúvida que a eletricidade vai dividir espaço com os combustíveis já existentes em uma , talvez, ordenada e lenta mudança mundial. Antes tarde do que nunca.

Please follow and like us: