Meu carro me deu um choque! O que é isso?

“Puro fenômeno físico”. É assim que respondemos a alguns clientes assutados que procuram nossa oficina quase sempre com a mesma dúvida: “Meu carro está em curto! Ele me dá choques!”

O choque realmente acontece, mas não é problema em algum componente elétrico do carro e sim algo natural, principalmente em época de pouca chuva. Como tem chovido muito pouco no nosso país, esse tipo de situação tem ocorrido mais.

Todo choque assusta

O Fato

O choque acontece sempre que saímos do carro e encostamos na lataria, Assim, a eletrostática se descarrega, “se solta”, equilibrando as cargas em questão e provocando o choque. Tal eletricidade é acumulada na roupa do motorista porque, nessa situação, ela não se separa, não se mistura à eletricidade do carro. O corpo humano é condutor e o carro isolante.

Leia também: A interessante relação entre carros e a eletricidade

foto: www.estadao.com.br
foto: www.estadao.com.br

A melhor maneira de evitar o choque é segurar bem firme em uma parte metálica da porta antes de começar a descer do veículo. Ou seja, desça do carro com a mão encostada na porta que você não irá levar choque. Colocar uma toalha no assento do veículo também pode ajudar, diminuindo bastante a eletrização por evitar o atrito entre o tecido da sua blusa e o tecido do banco.

Física básica, poder das pontas, e está explicado o problema. Lembrando que o choque não oferece perigo maior do que um susto. Então, não gaste dinheiro com esse problema em uma oficina.

Quer receber mais posts do Mãos ao Auto? 

Curta nossa página no Facebook

Please follow and like us:

This article has 2 Comments

  1. Meu carro está com eletricidade estática tem 7 horas (notei devido a um papel de bala que grudou e até agora não caiu) deixei uma placa de metal entre a lataria e o chão para drenar essa eletricidade e até agora o papel não caiu. E normal ficar tanto tempo assim?

    1. Olá Fávio. Sim. Nesta época do ano acontece o que você descreve. Uma solução é diminuir a eletricidade acumulada e existem muitas “fórmulas” para isso, como o que fazem os motorista de caminhões. Mesmo assim não é algo garantido, e seria uma adaptação. Esse é um problema muito comum de acontecer e de difícil solução, principalmente nessa época do ano.Obrigado por participar do blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *